+55 11 2935-0469 / 4564-2802 / 3645-0428 / 97687-2635 Whatsapp comercial@brokercomex.com.br

Desejo de muitos empresários, a importação envolve diversas etapas que devem ser seguidas à risca para evitar dores de cabeça. Entre os problemas encontrados por um processo errado, estão multas, atrasos nas entregas, cobranças indevidas e muito mais.

Pensando nisso, trouxemos aqui os principais erros que podem ocorrer no processo de importação.

Se você tem interesse nesse tema, continue a leitura!

1 – Fornecedores sem estrutura para atender

Um dos principais problemas ao iniciar o processo de importação é a escolha errada de fornecedor. Um bom parceiro comercial deve fornecer produtos de qualidade e o principal: entregar o produto comprado.

Se não houver uma ampla pesquisa e conhecimento sobre a idoneidade do fornecedor, pode ter certeza de que você vai ser vítima de um golpe.

Outro ponto de atenção é a qualidade do produto a ser importado para não receber algo diferente do planejado. Neste momento, é importante também estar atento às características do produto para a inclusão na classificação fiscal.

2 – Preenchimento incorreto da Classificação Fiscal

Como mencionamos no item anterior, a classificação fiscal de um produto importado deve ser muito bem preenchida. Vale lembrar que, ao entrar no Brasil, cada produto é taxado de forma diferente e ter conhecimento sobre os enquadramentos é essencial.

O objetivo da classificação fiscal é garantir que o produto esteja de acordo com a Nomenclatura Comum do Mercosul, a NCM. Ela se refere a um código que vai determinar as alíquotas que serão tributadas nesses itens para que a Receita Federal tenha o controle correto do que chega no País.

É possível dizer que uma classificação fiscal errada levará a empresa a gastar muito mais do que o previsto, isso porque há uma multa de 1% no valor total da mercadoria, além de imposições feitas pelo Fisco, como taxação do preço da mercadoria.  

3 – Falta de conhecimento sobre embalagens

O transporte de produtos importados segue diversas regras, entre elas as dimensões e os cuidados sanitários. Se a mercadoria estiver embalada em madeira não tratada ou tenha sido transportada em estrados de madeira, é exigido um tratamento de fumigação para evitar disseminação de pragas.

Caso não receba essa desinfecção, o MAPA pode autuar o importador e exigir que o produto seja trocado. Por isso, esse item precisa de uma atenção especial e cuidado para evitar novos gastos.

4 – Escolha errada sobre o modal de importação

Existem diversas formas de transportar uma mercadoria, como pelo avião e pelo mar. Saber definir a estratégia logística para importação de produtos fará a diferença no planejamento, porque ela pode encarecer ou reduzir os custos.

Cada meio também exige uma documentação diferente e esse processo pode ser complicado para o importador que não entende de legislação.

Ainda é preciso estar atualizado sobre diversas situações ao redor do mundo, como a pandemia de coronavírus que fechou diversos portos ou a guerra na Rússia que resultou no fechamento de fronteiras.

5 – Falta de planejamento de importação

Todos os problemas acima citados podem ser resolvidos com um bom planejamento de importação. Isso vale também para quem quer exportar.

O empresário precisa ser bem assessorado e estar atento a todas as etapas para começar a negociação da forma correta.

Assim, contar com um despachante aduaneiro é um ótimo investimento. Neste artigo, levantamos os principais pontos para escolher um despachante aduaneiro para importação e exportação. Vale a pena a leitura.

Se você tem interesse em começar a importar, entre em contato com nossa equipe. Somos especializados em desembaraço aduaneiro e contamos com uma equipe atualizada e pronta para te atender.